Wednesday, November 26, 2008

Le Vin - Preço do Rio é diferente de preço em São Paulo

Abriu em Ipanema a um ano uma filial do Le Vin, um gracioso bistrô paulista que é de donos cariocas. Já fui lá algumas vezes e sempre saio de lá com a sensação que comi bem, principalmente nos almoços executivos da filial paulista. O restaurante é um dos poucos do Rio que tem alguns pratos típicos franceses/belgas como escargot e mulles et frites, que eu adoro. O ambiente é charmoso, uma pequena casa, quase que perdida no meio de Ipanema, com uma decoração simples, e com uma adega bonita. Acho que o ambiente só falta um ar condicionado mais potente, porque não estamos em São Paulo e vamos combinar que no Rio as pessoas gostar de ar condicionado forte.

Logo que vc chega é recebido um meio pão italiano com manteiga e um patê, o pão normalmente vem quentinho com um miolo leve e uma casca bem crocante. O patê é simples mas a combinação com o pão quentinho é de fato muito boa. Os drinks lá são bem feitos e as caipivodkas muito boas, mas já a carta de vinhos é excessivamente cara, para um restaurante com o tom de informalidade que ele tem, acho que devia ter uma carta de vinhos menos pretenciosa, esse não é o francês que vc leva pessoas para um programa refinado e sim um programa relaxado.

Já fui lá alguma vezes e sempre comi bem, a salada de rúcula com couscous marroquino é especialmente saborosa, bem leve e com um cousous bem sequinho e salgado como deve ser. O carpacio é bem gostoso também com um amargor balanceado com a o gosto fresco da carne. Mas o meu prato preferido é o mulles frites, esse prato típico que tem uma cumbuca grande de mexilhões cozidos em um leve molho a base de vinho braço, cebolas, alho e azeite é muito bom lá – tenho que admitir que pode ser que dado que como lá quando estou com saudade do prato meu nível de exigência esteja alterado – o que fica devendo são as batatas fritas, que são meio murchas e sem um sabor especial. Provei o raviole de pato com molho de laranja e estava também muito saboroso.

De sobremesa a mesa optou por um creme brulle, leve e bem executado, com o gostinho que queimado que deve ter e profiteroles, que não provei pois não como chocolate, mas a mesa elogiou muito. Para finalizar cafés nespresso que são garantia contra a incapacidade dos baristas locais. O único problema desse programa é o preço, os donos cariocas esqueceram que o Rio tem restaurantes em média 20% mais baratos que São Paulo, então em comparação com seus pares o Le Vin fica um pouco caro pelo o que oferece.

Le Vin
Rua Br Torre, 490
Rio de Janeiro - RJ, 22411-002
Tel - 21 3502-1002

2**
$$$

5 comments:

Candida said...

Nao conheço o do Rio, mas adoro o de São Paulo. Já temos um programinha para a minha próxima ida ao Rio. Beijo

Renato said...

Mesmo morando aqui em SP, vou quero conhecer o Le Vin do Rio, fiquei bem entusiasmado com o post.

Anonymous said...

Arturo! Vim dar o ar da graça (hehe, pretensão, né?)
Fui uma vez no Le Vin do Rio.
Me lembro do pão, que era bom.
Comi uma massa qualquer da qual eu já não me lembro mais. (Tendo a esquecer das comidas, haha.)
O dito cujo le vin era muito bom, não me lembro o nome, nem a uva nem a nacionalidade. Acho (acho só) que era francês, ou italiano - não era nada Novo Mundo, nem nada dos hermanos latinos custo/benefício.
Lembro-me que achei caro, mas sou do tipo "sem-muito-dinheiro-mas-perdulária", então essa informação não é relevante.
O ambiente eu achei meio coroa mas era um sábado à noite em Ipanema. Reparei que tinah muito casal de meia idade de Ipanema.
Fui bem atendida apesar de estar mal vestida, haha.

Voilà, eu daria uma nota 3, porque eu prefiro beber do que comer e porque o nome do lugar é Le Vin, né? hehe

Acho que é isso...

baci!

Anonymous said...

p.s.: Anonymous acima = Rach

Tuca said...

Renatinho,

Proxima vinda sua esta marcado. Com o comentariro da rach diz eh um publico meio velho, mas sempre fomos velhos por dentro mesmo... Vc entao anem se fala!!!

Rach,

A cia eh tudo... E agora nessa minha fase dieta to muito mais para vinho q para a comida...

A